Os primeiros mapas do Brasil (5)!

Brasil por Diego Gutiérrez – 1562

Este mapa é um fragmento do Mapa da América de Diego Gutiérrez, publicado em 1562. Trata-se do trecho da costa brasileira.

Mapa Diego Gutiérrez

Abaixo, veja o mapa completo:

Mapa da América de Diego Gutiérrez – 1562

 

America Diego Gutiérrez

 

Diego Gutiérrez foi um cosmógrafo espanhol que serviu na Casa de la Contratación de 1554 a 1569. Seu mapa da América foi um dos mais completos da Época. Apenas duas cópias sobreviveram aos nossos dias. Uma está na Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, onde um versão online pode ser vista, e a outra está naBiblioteca Britânica.

Fonte: http://www.historia-brasil.com/mapas/mapa-1562.htm

Anúncios

Os primeiros mapas do Brasil (3)!

Continuando nossa saga, apresento a vocês mais um mapa. Dessa vez, produzido em 1598 por Barent Langenes. A Brasilia de Barent Langenes foi publicada, em primeira edição, na Caert-Thresoor, em Middelburg, na Holanda, em 1598 (ilustração em preto e branco, acima). A versão colorizada é de 1602.

Brasilia

Barent Langenes

Fonte: http://www.historia-brasil.com/mapas/langenes.htm

As crises do Império Romano (Parte 2)

Clio na Internet

Desafios enfrentados pelo Império Romano

improman

Como vemos no mapa, o Império era muito extenso e mantê-lo protegido ficou muito caro, pois era necessário um exército numeroso e bem preparado, uma poderosa administração pública, além de uma boa infraestrutura constituída de estradas, muros de proteção, etc.

Para minimizar o problema, algumas medidas foram tomadas como, por exemplo, dar mais autonomia às administrações provinciais e contratar estrangeiros (povos germanos) para o exército. Em troca da participação no exército, os mercenários estrangeiros recebiam soldo ou terras nas fronteiras do Império. A seguir, vamos entender por que essas decisões não foram suficientes.

Havia profundos problemas! Eram eles:

COLISEU

  • Crises políticas: sucessões marcadas por guerras;
  • Colapso do sistema escravista: com o fim das conquistas perde-se a principal mão de obra;
  • Problemas econômicos: inflação elevada, altos impostos, preços elevados e grandes despesas do governo;
  • Dificuldade em manter a segurança das fronteiras do Império;
  • Difusão do Cristianismo;

Ver o post original 157 mais palavras

As crises do Império Romano (Parte 1)

Na aula passada, relembramos um pouquinho do que estudamos no 6º ano. Para quem faltou a aula ou quer entender melhor, vamos viajar para o Império Romano, no  século III.
mapaimprom

Mapa do Império Romano

O império Romano foi um dos grandes Impérios do Mundo Antigo. Ele surgiu na Península Itálica, na cidade-estado de Roma e, a partir do ano 100, aproximadamente, conquistou parte da Europa, o norte da África e a região do Oriente Médio, na Ásia. Contudo, após a Pax Romana, período de desenvolvimento e harmonia, considerado o auge do Império, teve início o seu declínio.

Como o Império Romano era mantido? Como se sustentava?

A sustentação do Império era garantida pelos os saques às riquezas de outros povos, a cobrança de tributos e o trabalho escravo alcançado com as conquistas territoriais. Mas não era fácil. Havia grandes dificuldades para enfrentar as revoltas e tentativas de emancipação dos povos conquistados. E com o passar do tempo a arrecadação de impostos diminuiu, o que dificultava o pagamento do Exército.

Outros problemas…

Os séculos III e IV são marcados por conflitos internos e guerras civis, causados pelas disputas de sucessão de governantes, responsável pelo enfraquecimento do poder do Império e a defesa das fronteiras constantemente invadidas pelos povos bárbaros – europeus, árabes e persas, que passaram a conquistar regiões então submetidas a Roma.

Mito de Atenas

Sobre a Deusa Antenas – Deusa da sabedoria, inteligência e da guerra.

Deusa Atena

Há também quem grafe o seu nome como Palas Atená. Conta a mitologia que Zeus se apaixonou por Métis, deusa da prudência, sendo ela sua primeira esposa. Contudo, Zeus foi advertido por sua avó Gaia, que Métis lhe daria um filho, e que este o destronaria, assim como Zeus destronou Cronos e, este, Urano. Amedrontado, Zeus resolveu engolir Métis.

Para tanto, utilizou-se de um fabuloso ardil. Convenceu sua esposa a participar de uma brincadeira divina, na qual cada um deveria se transformar em um animal diferente.

Métis, desta vez, não foi prudente, e se transformou numa mosca, Zeus aproveitou a oportunidade e a engoliu. Todavia, Métis já estava grávida de Zeus, e continuou a gestação na cabeça deste, aproveitando o tempo ocioso para tecer as roupas da sua vindoura filha.

Um dia Zeus sentiu uma forte dor de cabeça, e Hefestos lhe deu uma machadada na cabeça, de onde saiu Atena, já adulta com elmo, amadura e escudo – esta coberto com a pele de Amaltéia.

Atena também é muitas vezes vista segurando em uma das mãos uma pequena imagem de Nike, a deusa da vitória.

Deus Poseidon

Atena venceu Poseidon em uma disputa para ver quem seria o patrono da cidade de Atenas. Quem desse o melhor presente ao povo da cidade venceria. Poseidon criou um rio, porém o rio era salgado e, portanto, quase inútil. Atena deu uma oliveira, e sagrou-se vencedora.

Atena também teve participação no julgamento de Páris, sendo uma das deusas rejeitadas. Na guerra de Tróia, apoiou os gregos. Outro julgamento importante em que teve participação especial foi no Aerópago, quando julgou Orestes e o absolveu, dando o seu voto de desempate, o voto de Minerva.

 

 

Mitologia Grega

É um conjunto de mitos, entidades divinas ou fantásticas e lendas. Tem suas principais fontes na Teogonia, de Hesíodo, na Ilíada e na Odisséia, de Homero, escritas no séc. VIII a.C.

A mais completa e importante fonte de mitos sobre a origem e a história dos deuses é a Teogonia. As histórias de grandes feitos, heróis, grandes combates, etc., são narrativas descritas por Homero, a exemplo da Guerra de Tróia.

Há uma divisão na categoria de deuses: deuses mais poderosos e deuses do Olimpo, este por sua vez se divide em várias classes. Dentre as classes dos deuses, está a classe A superior encabeçada por Zeus (governante de todos os deuses).

Zeus

Numa classe inferior está Hades (irmão de Zeus e deus dos infernos). Mas os heróis, seres mortais em sua maioria, têm tanta importância quanto os deuses na mitologia grega, um dos mais conhecidos é Hércules (em grego Héracles).

Tais mitos tão antigos, hoje geram diversão e conhecimento, através de filmes onde são narradas as lendas, os mitos, os feitos dos grandes heróis, etc.

Fonte: Brasil Escola

 

Para saber  mais:

Deuses Gregos

HERÓIS GREGOS

LENDAS MITOLÓGICAS

HISTÓRIAS MITOLÓGICAS

ANIMAIS MITOLÓGICOS

 

 

Grécia Antiga

Há poucas semanas, conversamos sobre a formação da Grécia, na Antiguidade. Mencionamos, durante as aulas, as invasões dos jônios, eólios, aqueus e dórios – povos que contribuíram para a construção da cultura grega que estamos estudando atualmente.

Vamos relembrar alguns aspectos?

Grécia Antiga é o termo geralmente usado para descrever, em seu período clássico antigo, o mundo grego e áreas próximas, tais como Chipre, Anatólia, sul da Itália, da França e a costa do mar Egeu, além de outros assentamentos gregos no litoral de outros países.

Eram considerados gregos quem falava a antiga língua grega,

Homero viveu por volta do século VIII a.C.,e foi um renomado aedo(poeta que cantava poemas e feitos heróicos na Grécia antiga),tendo como suas principais obras a Ilíada  e a Odisséia. Apesar de a própria existência de Homero ser contestada,devido à grande inexatidão com que é mencionado durante a história(as vezes como indivíduo,as vezes como várias pessoas),Homero fez uma grande contribuição histórica com a Ilíada e a Odisséia,pois ambas são a fonte de vários conhecimentos que temos sobre as tradições e costumes da Grécia antiga,após a invasão de tribos Dóricas.De forma resumida,na Ilíada Homeo narrou um período entre o nono e o décimo ano da guerra de Tróia,que foi iniciada segundo a lenda,com o sequestro de Helena,mulher do Rei grego Menelau,e que terminaria com os gregos vitoriosos.E a Odisséia nos conta as histórias de Ulisses(Odisseu),um famoso herói grego,que volta da guerra de Tróia para sua cidade natal ,Ítaca,e que no caminho sofre inúmeras provações,narradas na epopéia.